Blogs Unigranrio

3º Bimestre -Cidadania e cultura liberal

Agora no 3º BIMESTRE ( Agosto/Setembro) trataremos da temática : CIDADANIA E CULTURA LIBERAL
Tópicos abordados: Cidadania e cultura liberal; globalização da cultura; a cultura de massificação.

CLIQUE NA IMAGEM DOS TEXTOS BASE ABAIXO E LEIA OS E-BOOKS DESTE BIMESTRE.

Boas leituras, reflexões e não esqueça de deixar seu comentário.

Textos base:

*BITTENCOURT, Renato Nunes. O advento do Homem-massa.

* NOSSO PALESTRANTE DO  DIA 11/09. NÃO PERCAM!

LIPOVETSKY,Gilles. Somos Hipermodernos.

STIEGLE, Bernard. Hipermassificação e a destruição do indivíduo .

778 comments to 3º Bimestre – Cidadania e Cultura Liberal

  • Lucas Sabino

    Cidadania: Conjunto de direitos e deveres ao qual um indivíduo está sujeito em relação à sociedade em que vive.O conceito de cidadania sempre esteve fortemente “ligado” à noção de direitos, especialmente os direitos políticos, que permitem ao indivíduo intervir na direção dos negócios públicos do Estado, participando de modo direto ou indireto na formação do governo e na sua administração, seja ao votar, seja ao concorrer a um cargo público. No entanto, dentro de uma democracia, a própria definição de Direito, pressupõe a contrapartida de deveres, uma vez que em uma coletividade os direitos de um indivíduo são garantidos a partir do cumprimento dos deveres dos demais componentes da sociedade.
    Aluno: Lucas Sabino
    Curso: Engenharia de Produção
    Período: 4º período
    Matrícula: 5801267
    Disciplina: Calculo Diferencial e Integral IV – Jorge Kenedy

  • Lucas Sabino

    Globalização cultural: Neste mundo de expanção da globalização, onde idéias disseminam-se pelo mundo inteiro. Onde pessoas de diferentes países tem acesso aos mesmos produtos as mesmas idéias e estilos. Onde as culturas se confundem entre países diferentes.Neste mundo capitalista onde tudo se comercializa até mesmo idéias, cultura e etc. Como podemos julgar certo ou errado se nos é imposto tudo, deixo aqui meu questionamento, só beneficios com a tal globalização, se é o comércio que move o mundo? Sinceramente acho que tem que ser revistos vários conceitos.
    Aluno: Lucas Sabino
    Curso: Engenharia de Produção
    Período: 4º período
    Matrícula: 5801267
    Disciplina: Calculo Diferencial e Integral IV – Jorge Kenedy

  • Lucas Sabino

    Massicação da cultura: Homem massificador, pessoas que são seguidores de idéias alheias que não são capazes de criar suas próprias idéias, apenas seguem os que lhes impõe. As propagandas são as maiores massificadores da sociedade, onde pessoas são impostas ao cosumismo imposto pela mídia, pois quem não seguem tendencias são discriminadas ou excluídas entre grupos. A cultura hoj neste mundo globalizado é para mim um grande comércio onde beneficiados são os que podem mais, onde está a cidadania onde todos deveriam ter acesso igualitário a educaçõa e cultura. Enfim pode mais quem tem mais.
    Aluno: Lucas Sabino
    Curso: Engenharia de Produção
    Período: 4º período
    Matrícula: 5801267
    Disciplina: Calculo Diferencial e Integral IV – Jorge Kenedy

  • Amara Azevedo da Silva Gonzaga

    Aluna: Amara Azevedo da Silva Gonzaga
    1 período de Nutrição – Manhã
    Disciplina: Ciência da Saúde 1
    Professora: Rosely Galvão

    QUAIS OS EFEITOS DA GLOBALIZAÇÃO NA CULTURA?

    A Globalização barateou os meios de transporte e comunicação dos países do mundo criando a chamada aldeia global. Aproximou pessoas, ou seja, interligou o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerou a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.
    A globalização mostrou diversas mudanças em todas as sociedades, não somente levando a uniformização da cultura mas também espalhando valores da democracia e por isso gerando grandes impactos em diversos países. Apesar das mudanças econômicas nem sempre positivas, a globalização ajudou na troca de ideias e valores principalmente vinculado a evolução da comunicação.
    Em suma, a Globalização está padronizando o mundo na questão cultural e não é por acaso que atualmente estão ocorrendo mudanças significativas no mundo..
    Que a globalização não venha tirar o nosso senso crítico, que possamos reter o que é bom e abstrair o que é ruim, se não quisermos fazer parte do característico grupo do “homem massa” cabe a nós analisar friamente até que ponto recriar uma unica cultura,é bom ou ruim.

  • Patrick Barretto

    Há lugar para as culturas locais no mundo globalizado?
    Há cada vez menos espaço para culturas locais no mundo globalizado. Em cada situação onde o indivíduo se destaca do estereótipo de “homem-massa”, demonstrando personalidade e singularidade, torna-se algo ofensivo para o falso pudor da moderna civilização das massas. Esta, em vez de promover o refinamento intelectual e cultural do indivíduo, se esforça acima de tudo por anular as próprias noções de singularidade e originalidade, criando blocos humanos desprovidos de personalidade, para que se possa assim melhor controlá-los.

    PATRICK BARRETTO
    Matrícula: 6100095
    Turma:IEN012-42 / 1 – Engenharia Civil
    Professor: Jorge Kenedy

  • Amara Azevedo da Silva Gonzaga

    Aluna: Amara Azevedo da Silva Gonzaga
    1 período de Nutrição – Manhã
    Disciplina: Ciência da Saúde 1
    Professora: Rosely Galvão

    QUAIS OS EFEITOS DA GLOBALIZAÇÃO NA CULTURA?

    A Globalização barateou os meios de transporte e comunicação dos países do mundo criando a chamada aldeia global. Aproximou pessoas, ou seja, interligou o mundo, levando em consideração aspectos econômicos, sociais, culturais e políticos. Com isso, gerou a fase da expansão capitalista, onde é possível realizar transações financeiras, expandir seu negócio até então restrito ao seu mercado de atuação para mercados distantes e emergentes, sem necessariamente um investimento alto de capital financeiro, pois a comunicação no mundo globalizado permite tal expansão, porém, obtêm-se como consequência o aumento acirrado da concorrência.
    A globalização mostrou diversas mudanças em todas as sociedades, não somente levando a uniformização da cultura mas também espalhando valores da democracia e por isso gerando grandes impactos em diversos países. Apesar das mudanças econômicas nem sempre positivas, a globalização ajudou na troca de ideias e valores principalmente vinculado a evolução da comunicação.
    Em suma, a Globalização está padronizando o mundo na questão cultural e não é por acaso que atualmente estão ocorrendo mudanças significativas no mundo..
    Que a globalização não venha tirar o nosso senso crítico, que possamos reter o que é bom e abstrair o que é ruim, se não quisermos fazer parte do característico grupo do “homem massa” cabe a nós analisar friamente até que ponto recriar uma unica cultura,é bom ou ruim.

  • Patrick Barretto

    Quais os efeitos da globalização na cultura?
    Pode-se dizer que a globalização é uma conexão econômica, cultural, social e política das pessoas em todo o mundo. É a forma como elas interagem com esses aspectos evolutivos principalmente para os países já desenvolvidos aonde o seu próprio mercado encontrava-se gasto. As pessoas passam a trocar informações mais rápidas entre si e aprendem coisas de outras culturas e religiões diferentes. Passam a usufruir de tecnologias, aparelhos de eletroeletrônicos, meios de comunicação que a muito existem em países mais desenvolvidos e passaram a existir nos lugares com menos oportunidades.

    PATRICK BARRETTO
    Matrícula: 6100095
    Turma:IEN012-42 / 1 – Engenharia Civil
    Professor: Jorge Kenedy

  • Patrick Barretto

    Qual o cidadão que o mundo globalizado deseja?
    Nesse momento, para atender a demanda produtiva industrial o ideal é o cidadão manipulável, cuja necessidade de consumo não é espontaneamente sentida, o qual se possa moldar o comportamento de consumo massificando seus modos de vida. Este cidadão, principalmente, ao exercer seu “tempo livre” (lazer) isolado diante de seu aparelho de TV ou em qualquer parte deste planeta globalizado, é bombardeado pela mídia que embute em seu subconsciente a necessidade, desnecessária, de consumo. Este processo ocorre por meio da fabricação de necessidades e desejos.
    Hoje o homem não se sente feliz, pois está voltado para a cultura do ter, não do ser. Classificado como “homem-massa” (Ortega y Gasset – filósofo), justamente pela ausência de critérios seletivos em suas avaliações, deixou de lado o espírito avaliativo e a sensibilidade cultural para apreciar o que é belo ou sublime e passou a avaliar sua existência pelos parâmetros quantitativos da ganância e da degradação do gosto cultural.

    PATRICK BARRETTO
    Matrícula: 6100095
    Turma: IEN012-42 / 1 – Engenharia Civil
    Professor: Jorge Kenedy

  • Maxwell Alves Silva

    Alunos:
    Nome: André Bezerra
    Matrícula: 4205510
    Nome: Letícia Sousa
    Matrícula: 4205702
    Nome: Maxwell Alves Silva
    Matrícula: 4205105
    Nome: Vanessa Fontina
    Matrícula: 4206750
    Rosana Coelho da Silva
    Matrícla: 4205641

    Comentário O advento do homem-massa

    Observando o artigo percebi que o autor a todo o momento nos mostra uma realidade que passa de maneira despercebida por todos, que é a “igualdade” onde esta nos torna incapazes de agir ou tomar decisões sem a interferência da cultura das massas que nos “obriga” a vivermos de uma forma que não devemos pensar de maneira racional, discutir, ter opinião própria ou questionar sobre qualquer assunto que possa comprometer essa “cultura” que não nos permite sermos singulares em nossos pensamentos e ações.
    Hoje vivemos em uma “ditatura” de comportamentos e padrões que seguem uma cultura de “igualdade” com a finalidade de nos tornar cada vez mais seres irracionais, perdendo nosso brilho de agirmos conforme o que pensamos, ou o que realmente queremos, ou seja, aprisionando nossos pensamentos em um sistema de padronização racional onde todos devem agir da mesma forma seguindo os padrões determinados pelo sistema capitalista que depende cada vez mais de pessoas incapazes de agir por si próprias, garantindo assim a continuidade do sistema.
    Um sistema que dita o que devemos pensar logo nos faz reféns, e desta forma fazemos exatamente como é “mandado” pelas mídias que determinam os padrões de como vamos nos vestir, o quê devemos falar, como devemos falar, como devemos agir sem questionar o que nos é ditado. Criando assim uma sociedade sem valores culturais e intelectuais passivos como se fossemos um “rebanho” tocado, seguindo tudo o que nos é colocado como sendo “verdade” garantindo desta forma uma sociedade passiva, sem voz incapaz de defender seus pensamentos por ser “refém” de um sistema de massa que proclama a igualdade como se fosse uma inclusão social.
    Neste sentido percebemos que esta igualdade na verdade nos faz prisioneiros de uma forma de pensar que nem é nossa e nem conhecemos o dono desse pensamento.

  • Nós somos diariamente bombardeados pelas propagandas que aos poucos nos transforma em uma sociedade consumista onde o importante é ter o celular da hora, televisor mais bonito, se vestir de acordo com a moda e viver como a maioria.
    E ainda muitas delas ficam até endividados para obter algo que todos tem, as propagandas fazem querer sempre mais e mais, as vezes até nos arrependemos. Quando estamos pensando que acabamos de pagar, nos esquecemos, deixamos nos levar e entramos de novo na mesma questão de coisas ditadas pela massificação, temos que aprender com a massificação cultural, mas ao mesmo tempo não sermos usados para pagar dívidas de corruptos e cair nas mãos da cultura massificadora.


    Grato,

    Alexandre Martins

    Soluções para Internet

    alexandre@webmartins.com.br

  • Arthur Pimenta

    Cultura Brasileira.
    o Fato é que apesar do processo de globalização, que visa a mundialização do espaço geográfico através dos meios de comunicação, criar uma sociedade homogênea, porem os aspectos locais continuam fortemente presentes. Várias comunidades continuam mantendo seus costumes e tradições, não mudam sua Cultura apesar da Globalização.

  • Arthur Pimenta

    Cultura Brasileira.
    o Fato é que apesar do processo de globalização, que visa a mundialização do espaço geográfico através dos meios de comunicação, criar uma sociedade homogênea, porem os aspectos locais continuam fortemente presentes. Várias comunidades continuam mantendo seus costumes e tradições, não mudam sua Cultura apesar da Globalização.
    Aluno: Arthur de Assis Pimenta
    Turma: IEN195-40 ( Física III )
    Profº: Jorge Kenedy
    Curso: Engenharia de Produção

  • Kelwin Bruno

    CULTURA BRASILEIRA: DA DIVERSIDADE À DESIGUALDADE
    A cultura brasileira é muito diversificada. Eu concordo que não existe alguém com mais ou menos cultura e sim com culturas diferentes, mas acho q todos os brasileiros deveriam conhecer todas as culturas de seu país independente de sua classe social, pois uma pessoa que conhece bem as culturas de seu país se torna mais adapta a qualquer assunto e mais crítica com uma opinião própria.

    ORIENTAÇÃO SEXUAL
    Discutir sobre esse assunto não leva a nada porque em um país que faz uso da democracia não se pode ter opinião contraria a homossexualidade, não concordo com nenhum tipo de agressão ao homossexual e não tenho nada contra eles mas não concordo com suas práticas.

    DE PRETO À AFRODESCENDENTE:
    IMPLICAÇÕES TERMINOLÓGICAS
    O termo “preto” ou “negro” é visto muitas das vezes como racismo, mas se pensássemos em igualdade e que não existe pessoas negras ou brancas e sim pessoas não teríamos problemas com nomenclaturas. Uma pessoa branca não é chamada de Euro descendente e não é considerado racismo. O racismo tá na cabeça das pessoas q veem os outros em forma de rótulos e não só como pessoas.

  • José Rodolfo Wicke

    A globalização da cultura possui pontos positivos e negativos a serem analisados. É importante observarmos que a globalização pôs fim as barreiras comerciais ao interligar os países e, com isso, facilitar a comunicação entre eles. Por outro lado, manifesta-se uma rarefacção da cultura patriótica, que tem sido uma constante dos nossos dias, por exemplo o dia de todos os santos, 1 de Novembro, tem estado muito esquecido junto das novas gerações. Felizmente, que no mundo de língua portuguesa tem sido encontrado um padrão lusófono que cada vez mais aproxima os países de língua portuguesa.
    com isso são difentes culturas atribuidas porém ao mesmo tempo outras são esquecidas de maneira que as nossas culturas brasileiras são esquecidas em certos periodos , com isso a globalização ccontribui bastante para esse esquecimento , atribuindo coisas novas a cada momento.

    Aluno: José Rodolfo Wicke de figueiredo – 5403573
    Turma: EIN502-20 / 1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Superior Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

  • Allan Lino

    A integração das diferentes culturas e povos como “um mundo” já foi desejada há muito tempo. O processo de globalização ocorre pela integração economica, social e cultural, identificando processos que têm por consequência a subjugação e a ligação transversal dos Estados nacionais. Um exemplo é a predominância da economia de mercado que leva ao domínio mundial do sistema financeiro, tendo a concentração do capital, o crescente abismo entre ricos e pobres e o crescimento do desemprego e da pobreza sendo os principais problemas sociais enfrentados.
    Essa situação tem efeitos sobre a cultura da humanidade, especialmente nos países pobres, onde os contrastes sociais são ainda mais perceptíveis. Em função da exigência de competitividade, cada um se vê como adversário do outro, lutando por seu espaço de trabalho, concorrendo para o surgindo da violência como reação dos excluídos e desenvolvendo uma crescente “cultura da violência” na sociedade.
    Embora tenham sido desenvolvidos mais meios de comunicação, presenciamos um crescente isolamento dos indivíduos ou grupos, impactando na redução da socialização entre os cidadãos.
    No que se refere à educação, a formação profissional é tida como mais importante, concebida como único meio de acesso ao mercado de trabalho. A ideia é a de que, com uma melhor qualificação técnica, se tenha maiores e melhores possibilidades de conseguir um emprego num mercado de trabalho em declínio.
    A reflexão sobre os problemas da sociedade assume cada vez menos importância; e valores como mobilização social, solidariedade e comunidade perdem seus significados. Importante é o luxo, o lucro, o egocentrismo esses valores são difundidos pelos grandes meios de comunicação e os jovens são os mais atingidos. O ser humano é cada vez mais encarado como coisa e estimulado a satisfazer prazeres supérfluos. Mais uma vez os excluídos são descartados sem perspectiva e encontram cada vez menos espaço na sociedade que, afinal de contas, está voltada aos consumidores.

    Aluno: Allan Lino de Sousa – 5305204
    Turma: EIN502-20 / 1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Superior Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

  • Eliane dos Santos Estanislau

    O conjunto de direitos e deveres que o homem é capaz de exercer está estampado na sociedade em que vive. Porém, infelizmente, a cultura das massas tem o poder de intervir nas opiniões dos homens, que na maioria das vezes são influenciados pelas mídias para tomar certos tipos de decisões. Em certo ponto, a globalização contribuiu para que a cidadania e a cultura fossem vistas e alcançadas por quase todos. É possível que cada país matenha sua cultura e tradições sempre vivos, e que divulgem esses costumes através dos meios de comunicação existentes.

    Aluna: Eliane dos Santos Estanislau
    Matrícula: 5305164
    Turma: EIN502-20/1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Sistema de Informação

  • A mídia, infelizmente, tem um grande poder de intervir nas opiniões da população, tornando esses indivíduos instrumentos manipulados por opinião mais forte. Educação é o segredo para diminuir(ou até mesmo acabar) com essa manipulação, tendo em vista que a ignorancia eleva à aceitação de opniões sem o devido questionamento. Um ponto importante que deve ser comentado é o fim das barreias comercias ao interligar países, facilitando a comunicação entre eles imposto pela a globalização. Em contrapartida existe inúmeros países que preservam seus costumes e tradições, não sendo afetado por estas quebras de barreiras.

    Aluno: Everton Sena Gonçalves de Oliveira
    Matrícula: 5305130
    Turma: EIN502-20/1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Sistema de Informação

  • Max H F Martins

    O mundo está voltado a globalização. Produtos, estilos, ideias disseminam-se hoje em dia pelo mundo inteiro de uma forma muito mais rápida. O comércio, novas tecnologias de informação e a migração global promoveram um fluxo sem restrições de cultura que ultrapassa as fronteiras das diversas nações. Isso faz com que determinado local e/ou pessoas percam um pouco de suas identidades, de suas características regionais, pois, são inundadas por culturas estrangeiras.

    Aluno: Max H F Martins
    Matrícula: 5305159
    Turma: EIN502-20/1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Sistema de Informação

  • Amanda Paiva

    A disseminação da cultura através da globalização tem que ser feita de maneira igualitária no mundo tudo, porém isso não ocorre. Os EUA através de sua política e economia se tornou o grande ditador de modelos a serem seguidos pelo restante do mundo. Esses modelos são hábitos alimentares (fast food), influencia musical e a predominância do inglês. Com a globalização é possível a troca de informações entre países e pessoas de todo mundo. A internet e a mídia são meios de ser feito essa conexão, de ligar as pessoas, espalhar ideias e conhecer aspectos culturais e sociais de várias partes do planeta. Com isso a mídia cada vez mais com seu grande poder de persuasão exerce uma influencia enorme na vida dos seres humanos.

    Aluna: Amanda Paiva de Araujo
    Matrícula: 5305113
    Turma: EIN502-20/1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Sistema de Informação

  • Max H F Martins

    O mundo está voltado a globalização. Produtos, estilos, ideias disseminam-se hoje em dia pelo mundo inteiro de uma forma muito mais rápida. O comércio, novas tecnologias de informação e a migração global promoveram um fluxo sem restrições de cultura que ultrapassa as fronteiras das diversas nações. Isso faz com que determinado local e/ou pessoas percam um pouco de suas identidades, de suas características regionais, pois, são inundadas por culturas estrangeiras.

  • Acredito por conta da hipermassificação, a cada dia que se passa, perdemos nossa identidade cultural. Não existe tanta diferença entre roupas de um povo norte americano ou australiano e um povo sul americano. Nos foi introduzido os mesmos costumes de trabalhar, de se entreter e até mesmo de comer… Um norte americano hoje em dia encontra aqui as mesmas comidas que ele está habituado a se alimentar nos EUA por exemplo.
    As pessoas que estão mais longe desta problemática de massificação são a população de mais baixa renda, que não possui tanto acesso à informação como TV ou internet, permanecendo um pouco mais intactos em seu intelecto, mas que não adianta muito pelo fato de mesmo elas encontrarem e conviverem com pessoas que foram sucumbidas e “fisgadas” por este tipo de classificação social.
    Não que não possamos nos conhecer e trocar informações culturais, mas entregamos e trocamos a nossa base cultural, passando a ter uma cultura mais moldada pela mídia influenciada pelo sistema capitalista, passando a ser “homens-massa”.

    Aluno: Ramon Leôncio Regis
    Matrícula: 5305172
    Turma: EIN502-20/1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Sistema de Informação

  • Tiago Miranda

    A influência na mídia atualmente é absurda. Esta influência chega ao ponto de ser uma “manipulação escondida”. Ela faz de forma a não perceber como você até troca de opinião sobre determinado assunto, pois é tão bem feito e exposto de forma que tudo parece verdade, que você acaba acreditam e levando em consideração tudo que dizem. A população aceita essa manipulação e vem convivendo com ela a muito tempo.

    Aluno: Tiago de Miranda Gomes
    Matrícula: 5305075
    Turma: EIN502-20/1 – Informatica e Sociedade
    Profº: Sandra Nunes
    Curso: Sistema de Informação

  • Carrla lima

    Matrícula: 0101421
    Aluna: Carla Lima de Castro
    Curso: Estética e Cosmética 1º período / manhã
    Professora: Marilene Rodrigues

    Quais os efeitos da globalização na cultura? Qual o cidadão que o mundo globalizado deseja?

    NA ATUALIDADE PERCEBO QUE É CRIADO UM PADRÃO DE VIDA PARA A
    SOCIEDADE ONDE EXISTEM NOVOS COSTUMES SENDO IMPOSTAS NOVAS REGRAS DE
    CONVIVÊNCIA E COMPORTAMENTOS. MAS SERÁ QUE A SOCIEDADE SABE DISSO OU SE DEIXA
    LEVAR PELO MODISMO DA ATUALIDADE?
    PODEMOS TER RESULTADOS BONS E RUINS COM UM MUNDO GLOBALIZADO POR EXEMPLO COM A
    GLOBALIZAÇÃO E O AVANÇO DA TECNOLOGIA TEMOS MAIS FACILIDADE DE ACESSAR CONTEÚDOS,FAZER
    PESQUISAS E ESTUDAR,ETC…
    POR OUTRO LADO A GLOBALIZAÇÃO PODE TER UMA INFLUÊNCIA NÃO
    TÃO BOA QUANDO IMPÕE CERTAS COISAS NÃO PERMITINDO A OPINIÃO PRÓPRIA DO QUE É BOM
    OU RUIM, FEIO OU BONITO,SATISFATÓRIO OU INSATISFATÓRIO…. O IDEAL É TIRAR
    PROVEITO DO QUE A GLOBALIZAÇÃO TEM DE MELHOR A NOS OFERECER E NÃO SER
    MANIPULADO, ASSIM NÃO PERMITIR QUE A CULTURA SE PERCA POR INTEIRA.

    Há lugar para as culturas locais no mundo globalizado?

    MUITOS OUTROS PAÍSES AINDA TEM A MESMA CULTURA
    DE ANOS E ANOS ATRÁS O QUE NÃO ACONTECE MUITO NO NOSSO PAÍS JÁ QUE A CADA DIA
    QUE PASSA NOSSA CULTURA SE MODIFICA TENDO EM VISTA UM MODO DIFERENTE DE
    VIVER, SE COMPORTAR, VESTIR E SE COMUNICAR …. TAMBÉM SENDO INFLUENCIADO
    POR OUTROS PAÍSES EXTREMAMENTE MODERNIZADOS E LÍDERES DE GRANDES EMPRESAS.
    TALVEZ ESTAMOS ESQUECENDO DA CULTURA LOCAL E ACEITANDO A CRIAÇÃO DE COISAS
    NOVAS NA MAIORIA DAS VEZES ABSURDAS E COM ISSO
    PERDEMOS TODOS OS DIAS A CULTURA QUE É PARTE DE NÓS, UMA IDENTIDADE SENDO
    MODIFICADA PELO COMPORTAMENTO DO POVO MODERNIZADO.

  • Ramon Pimentel

    Aluno: Ramon Ferreira Pimentel
    Matricula: 5600645
    Curso: Superior de Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas

    Há uma enorme diversidade cultural no mundo, e com a globalização culturas quem antes nem sabíamos que existiam são compartilhadas e acabamos que mesmo que não venhamos segui-las levamos um pouco delas para a nossa própria cultura, mas se por parte ele boa pelo fato de conhecermos novas culturas pro outro vivemos em uma sociedade paradoxal, a maioria das pessoas existe a preocupação em seguir valores de competitividade e modelos pré-definidos pela mídia.

  • Taiane Maziero

    Taiane Maziero – Medicina Veterinária – 4404059
    Marilene.
    1) Quais os efeitos da globalização na cultura? Qual o cidadão que o mundo globalizado deseja?
    O impacto cultural da globalização foi alvo de muita atenção. Imagens, ideias, produtos e estilos disseminam-se hoje em dia pelo mundo inteiro de uma forma muito mais rápida. O comércio, as novas tecnologias de informação, os meios de comunicação internacionais e a migração global fomentaram um fluxo sem restrições de cultura que transpõe as fronteiras das diversas nações. Muitas pessoas defendem que vivemos hoje numa única ordem de informação – uma gigantesca rede mundial, onde a informação é partilhada rapidamente e em grande quantidade. E o cidadão que o mundo globalizado deseja é um ser capacitado para adquirir seus avanços e manuzea-los.

    2) Há lugar para as culturas locais no mundo globalizado? Vivemos em um mundo hoje que há lugar para tudo, e as culturas globalizadas nos dão permissão para questionar, fazer manifestos, grupos étnicos, e elas vem crescendo cada vez mais.

  • Jessica Barreto de Brito

    Aluna:Jessica Barreto de Brito
    Curso:Medicina Veterinária
    Matricula:4404031
    Professora:Marilene
    -Quais os efeitos da Globalização na Cultura?
    A Globalização disponibiliza um crescimento benéfico com altas tecnologias, conhecimentos culturais, melhoria de vida, crescimento no mercado financeiro e alianças unificadas.
    Não há dúvidas que as culturas nacionais geram uma cultura global e através dela surge a intensificação dos contatos entre povos e civilizações vinculadas à expansão econômica, sendo assim culturas globalizadas e compartilhadas adaptadas aos outros países em que a recebem.

    -Há lugar para as culturas locais no mundo globalizado?
    Essa visão é polemica internacionalmente. Não se pode transformar o mundo sem ver o desenvolvimento da informática, robótica, comunicações por satélite, Internet e modernos meios de transporte. É natural que esse mundo transformado pela internacionalização, aflora a enpolgação da comunidade integrada

    -Qual o cidadão que o mundo globalizado deseja?
    A coisa boa da Globalização, é a informação que chega muito rápido na atualidade; mas não podemos nos conformar com as marionete que estamos nos tornando. Ontem estava lendo sobre um concurso de miss mundo, onde a vencedora foi uma Chinesa e lendo os comentários, pude notar como os pensamentos das pessoas estão massificados, muitos diziam que a moça era feia(o concurso não era só sobre beleza)porque o bonito agora está estereotipado nos padrões Ocidentais, e fique pensando, como as pessoas estão sendo manipuladas pela mídia e se tornando robôs…

  • Igor Rangel

    O texto fala sobre a globalização e desenvolvimento do mundo, portanto as pessoas estão cada vez mais perdendo a sua cultura individual, sua mente acaba se tornando ‘vazia’ e anulando as próprias noções de pensamento próprio. E isso faz com que todos se tornem iguais, uma massa de gente que apenas obedecem sem questionar o que deveria ser questionável. A ‘ditadura da massificação’ está diluindo todo o destaque pessoal dos indivíduos, todo o brilho individual.

    Aluno: Igor Rangel Gomes
    Matricula: 6100016
    Curso: Engenharia Civil (Noite)
    IEN186-44 / 1 – Calculo Diferencial e Integral IV
    Professor: Jorge Kenedy

  • Bianca Adelino Alves

    Aluna: Bianca Adelino 0101486
    curso: estética e cosmética 3º período
    Professora: Martha Mendonça
    disciplina: Cosmetologia facial
    turno: manhã

    Esquecer é o melhor remédio?

    Quando não conseguimos tirar da cabeça que alguém nos feriu, estamos somente reavivando a ferida, tornando-a muitas vezes bem maior do que era no início.
    Nem sempre as pessoas nos ferem voluntariamente. Muitas vezes somos nós que nos sentimos feridos e a pessoa nem mesmo percebeu; e nos sentimos decepcionados porque aquela pessoa não correspondeu às nossas expectativas. E sabemos lá quais eram as nossas expectativas? Nos decepcionamos e decepcionamos outras pessoas também. Mas, claro, é bem mais fácil pensar nas coisas que nos atingem. Quando alguém te disser que te magoou sem intenção, acredite nela! Vai te fazer bem.
    Dizem que a gente começa a envelhecer quando objetos e hábitos do passado passam a frequentar nossa imaginação. Não concordo, pois apesar de me sentir jovem, sinto cada vez mais saudade de velhos e bons tempos quando tudo, ou quase tudo, era muito mais fácil, por incrível que pareça!

    saudade não tem idade?

    Se não vejamos. Não faz tanto tempo assim, telefone era pra gente falar com alguém lá do outro lado da linha. Com a chegada da modernidade a uma velocidade quase tão poderosa como a do som, fomos obrigados a aprender que falar ao telefone é apenas um detalhe, porque, na verdade, ele virou uma fonte de informação e entretenimento, a tal ponto que até colocamos uma ligação em “hold’, ou em compasso de espera, enquanto fazemos uma consulta no Google.
    ao contrario do que dizem,Saudade tem idade sim

Leave a Reply

 

 

 

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>