Blogs Unigranrio

USINA DE BELO MONTE : PROGRESSO OU DESTRUIÇÃO ?

RIO +20  e  XINGU +23

Às portas da Rio +20e vinte e três anos depois da primeira vitória dos povos contra o projeto de barramento do rio em 1989, o histórico 1º Encontro dos Povos Indígenas do Xingu -, acontecerá um encontro decisivo: o Xingu +23. Pescadores, ribeirinhos, pequenos agricultores, indígenas, movimentos sociais, acadêmicos, ativistas e defensores do Xingu estarão juntos em Altamira, a partir do dia 13 de junho, para decidir os próximos passos na luta contra a hidrelétrica mais polêmica do planeta.

O  documentário abaixo, teve objetivo de transcrever na tela digital, a emoção levada pelos povos do Xingu na luta pela conservação ambiental, na luta para a vida do Rio Xingu e de seu eco-sistema. O video foi montado graça as imagens, fotos e videos, compiladas e recolhidas de varias fontes, proveniente de associações, amigos, ou parentes todos defensores da causa Indígena do Xingu! A musica “ Deixa o xingu Viver” foi criada e cantada especialmente para levar ao coração todos ressentidos que levam este projeto monstruoso da Barragem Belo Monte, defendido pelos maiores empresários do Brasil . A Musica é da grande autoria é de Helena Castro.

Clique na imagem abaixo e assista o vídeo sobre o documentário

A concessão para a construção da hidrelétrica, no município de Vitória do Xingu, foi objeto de leilão realizado no dia 20 de abril de 2010. A outorga coube a Norte Energia S. A. por um prazo de 35 anos.

Clique no logo abaixo e leia a cartilha  que irá contribuir com o debate sobre sua construção, no Rio Xingu. O material, elaborado pela Norte Energia S.A., já está em sua segunda atualização, trazendo informações técnicas sobre o empreendimento, tanto do ponto de vista da engenharia quanto dos benefícios socioambientais que levará àquela região do Pará. O texto foi traduzido para os idiomas Inglês e Espanhol, de forma a esclarecer os principais aspectos da usina ao maior número de interessados.

“Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado e o último peixe ser pescado, as pessoas entenderam que não se pode comer dinheiro!”

Anônimo

REFLITA:  O AUMENTO DA CAPACIDADE ENERGÉTICA GERA UM  FUTURO SUSTENTÁVEL OU É UM CRIME HEDIONDO?

COMO VOCÊ VÊ BELO MONTE ?

Foto de Gabi Juns – Facebook

Deixe seu comentário:

165 comments to USINA DE BELO MONTE : PROGRESSO OU DESTRUIÇÃO ?

  • Isabella

    Essa inauguração será a pior coisa que o brasil fará!!!
    Primeiramente irá invadir a terras dos indigenas o progeto XINGU deixarar em torno de 20 mil indios desabrigados, irá desmatar grande parte da nossa grandiosa floresta amazonica provavel mente irá mudar o curso do rio Amazônas
    eu sou contra a essa inalguração
    “Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado e o último peixe ser pescado, as pessoas entenderam que não se pode comer dinheiro!”

  • Clarice Cunha Mendonça da Silva -aluna do quarto período de História

    NO mundo capitalista, a ambição desenfreada que rege as ações humanas tomaram um rumo, que se torna difícil avaliar de como, no futuro, o homem conviverá com as consequências de seus atos.Já era tempo de se resolver estas questões indígenas, como cidadãos que têm todo direito de serem respeitados

  • Clarice Cunha Mendonça da Silva -aluna do quarto período de História

    A construção Belo Monte trará, sem dúvida, benefício a região, porém deveria ser realizada tendo em vista que aspectos negativos, deveriam ser avaliados e resolvidos de melhor maneira para todos.
    HISTÓRIA- QUINTO PERÍODO- ESTÁGIO II. PROFESSORA CINTIA

  • Mônica Ferreira da Silva de Carvalho

    Apesar de ser uma das energias mais limpas, e no programa da Norte Energia ter compensações ambientais, essa Usina vai modificar drasticamente a paisagem.Inundar áreas e provocar secas em trechos mais distantes.Aí vem o discurso que energia eólica ou solar é tantas vezes mais cara, mas se estamos falando de nossa própria sobrevivência, o que importa o dinheiro gasto?Para que vai servir o dinheiro economizado, depois que não tivermos mais 1 gota d’água ou 1 muda de árvore? Acham que compensar o dano causado resolve, mas e para aquelas populações que fazem parte do lugar, suas “casas” nunca mais serão as mesmas.Porque os poderosos acreditam que podem fazer o que quiserem como se fosse donos da terra? Todos somos iguais e ninguém manda no direito de ninguém.Porque não investir em conhecimento e programas de redução de energia, até para as próprias repartições públicas que utilizam de forma inadequada este bem comum.Posso citar alguns de vários exemplos: A iluminação pública que muitas vezes se estende após o sol nascer, porque não utilizar a própria energia solar? Há tá porque gasta muito…e nos prédios públicos que você precisa ligar um andar inteiro e não apenas uma sala frequentada…esqueci de novo, porque gasta muito.As pessoas estão acostumadas a remediar o problema e não descobrir e solucionar a causa.Provavelmente a empresa responsável pesa usina deve ser de algum influenciador no governo…por isso outros projetos não seguem em frente.No Nordeste, poderia utilizar a energia eólica, com tanto espaço e ventos suficientes para tal.Mas não, precisamos interferir na vida de populações locais, animais e a vida aquática do rio.Sei que não podemos regredir nas conquistas alcançadas, mas se quisermos deixar as futuras gerações usufruir de algum bem-estar nesse mundo, temos que freiar hoje e aprender a utilizar os recursos oferecidos.

  • Mônica Ferreira da Silva de Carvalho

    Apesar de ser uma das energias mais limpas, e no programa da Norte Energia ter compensações ambientais, essa Usina vai modificar drasticamente a paisagem.Inundar áreas e provocar secas em trechos mais distantes.Aí vem o discurso que energia eólica ou solar é tantas vezes mais cara, mas se estamos falando de nossa própria sobrevivência, o que importa o dinheiro gasto?Para que vai servir o dinheiro economizado, depois que não tivermos mais 1 gota d’água ou 1 muda de árvore? Acham que compensar o dano causado resolve, mas e para aquelas populações que fazem parte do lugar, suas “casas” nunca mais serão as mesmas.Porque os poderosos acreditam que podem fazer o que quiserem como se fosse donos da terra? Todos somos iguais e ninguém manda no direito de ninguém.Porque não investir em conhecimento e programas de redução de energia, até para as próprias repartições públicas que utilizam de forma inadequada este bem comum.Posso citar alguns de vários exemplos: A iluminação pública que muitas vezes se estende após o sol nascer, porque não utilizar a própria energia solar? Há tá porque gasta muito…e nos prédios públicos que você precisa ligar um andar inteiro e não apenas uma sala frequentada…esqueci de novo, porque gasta muito.As pessoas estão acostumadas a remediar o problema e não descobrir e solucionar a causa.Provavelmente a empresa responsável pesa usina deve ser de algum influenciador no governo…por isso outros projetos não seguem em frente.No Nordeste, poderia utilizar a energia eólica, com tanto espaço e ventos suficientes para tal.Mas não, precisamos interferir na vida de populações locais, animais e a vida aquática do rio.Sei que não podemos regredir nas conquistas alcançadas, mas se quisermos deixar as futuras gerações usufruir de algum bem-estar nesse mundo, temos que freiar hoje e aprender a utilizar os recursos oferecidos.
    Matrícula: 5105995 – Aluna de Licenciatura em Química

  • Maria Emília Pereira Gomes Martins

    Artes Visuais / 05
    Matricula: 0200578

    A construção do Belo Monte trará benefícios, mas se construído com consciência com relação ao meio ambiente e principalmente aos animais que ali viviam.

  • Maria Emília Pereira Gomes Martins

    Artes Visuais / 05
    Matricula: 0200578

    A construção do Belo Monte trará benefícios, mas se construído com consciência com relação ao meio ambiente e principalmente aos animais que ali viviam. Sempre pensando em conciliar a natureza e a evolução humana.

  • Carlos Vinicius F. Ribeiro

    Carlos Vinicius F. Ribeiro
    Curso: História – 4º
    Matrícula: 2500627
    Disciplina: Estágio Supervisionado I

    O caso da usina hidrelétrica de belo monte ao meu ver, se for respeitado tudo o que está na cartilha da empresa responsável por essa usina, a Norte Energia, será bastante bem-vinda. No entanto é importante destacar que a corrupção e inadimplência não vêm escritas em cartilhas oficiais que concorrem licitações e nem em projetos que exigem aval do Estado para serem executados.
    Tendo tudo isso claro, é necessário uma fiscalização pesada nessas regiões, porque as mesmas são da reserva de terras indígenas, e eles possuem também direitos a terem uma vida confortável e liberdade de escolha de tudo que nós escolhemos, desde vestimenta até modo de vida. Tendo a cartilha garantido tudo isso entre outras coisas indispensáveis para essa construção como a preservação da fauna e flora local, inclusive que todo o curso do rio Xingu fique intacto, vejo com bons olhos sim, porque na cartilha informa que gerará energia para 40% do total de residências no Brasil. Outro ponto importante reside no fato de os índios que quiserem, terão oportunidades com essa construção. Portanto, desde que individualidades e o ambiente, ou seja, a sustentabilidade do projeto, sejam respeitadas, sou a favor sim.
    Para que tudo ocorra nos conformes da cartilha da Norte Energia, bato novamente na tecla da fiscalização, com penas de multas altíssimas, licitação cassada e prisão para queles que transgredirem as leis ambientais e fiscais deste país. A atenção em relação a esse projeto necessita ser vigorosíssima.

  • Clarice Cunha Mendonça da Silva -aluna do quarto período de História

    Um dos principais problemas que atingem os ecossistemas é os causados pela população urbana, que destroem, poluem áreas ambientais, pela necessidade vinda da industrialização e da urbanização. O uso inadequado da natureza traz consequência devastadora para o planeta. A natureza se formou durante bilhões de anos, mas o ser humano a destrói de maneira acelerada. As necessidades do ser humano moderno sempre sobrepõem a de conservar o planeta. CLARICE CUNHA MENDONÇA DA SILVA HISTÓRIA QUINTO PERÍODO ESTÁGIO II PROFESSORA CINTIA

  • Antonio Carlos G. da Silva

    A Usina de Belo Monte é muito criticada e quase sempre no sentido apelatório da coisa. Ela será um grande centro energético para o Brasil, que está em ritmo de crescimento, como país emergente que é. Nosso comércio cresce, nossa indústria idem e o número de cidadãos brasileiros avança desordenadamente. Isso trará futuramente a necessidade de mais energia para suprir as necessidades de todos, sem o risco de um novo apagão. Belo monte produzirá o equivalente a 10% da necessidade nacional em 2009, isso é magnífico para um país que quer crescer, pois o motor de uma sociedade é a energia. De todo o seu investimento, uma parte será para medidas socioambientais em toda a sua área de afetamento.

  • Thamyres Ederli

    Acho um crime contra a natureza e contra os povos povos indígenas o que estão fazendo em Belo Monte. Essas terras abrigam sítios arqueológicos que estão entre os mais antigos já datados no Brasil, tudo isso será destruído para se transformar em mais uma hidrelétrica para que? Já que já existem tantas outras mal utilizadas. Parece que o povo brasileiro não aprendeu o suficiente ainda em como preservar sua história os torna melhores para o futuro.

    Matrícula: 2500549
    Prof: Cíntia Bonfim
    Estágio Supervisionado III
    Curso: História/ 6°período

  • Allan Ricardo Batista dos Santos

    Matrícula: 5600591
    Curso: Informática – Licenciatura
    5° Período
    Estágio Supervisonado II
    Profª: Cintia da Rocha, Claudia Abreu
    Por mais que se diga que Belo Monte trará desenvolvimento, não se compara a destruição que irá causar, pois destruirá o ecossistema da região e acabará como lar dos índios, fora isso o país consegue produzir energia suficiente para todos, o problema e má distribuição.

  • thamires A.Queiroz

    Thamires A. Queiroz
    Mat:2500587
    Prof° Cintia Bonfim
    Disciplina: Estagio II
    Depende do ponto de vista de cada um, para alguns pode indicar progresso e desenvolvimentos, já para outros pode ser causa de destruição e desigualdade.

  • thamires A.Queiroz

    Thamires A.Queiroz
    Mat:2500587
    Prof° Cintia Bonfim
    Disciplina: Estagio II

    Criticas são lançadas todo tempo contra a criação da Usina de Belo Monte sinal que o desrespeito pela natureza esta visível. Com base nisto onde estão os governantes que não tomam uma atitude para mudar esse ato de destruição.

  • Igor Rangel

    Creio que o Brasil tem que tomar muito cuidado sobre esse tipo de assunto, pois as Hidroelétricas são fontes de energias muito satisfatória para o país, porém pela usina de um porte muito grande acaba fazendo com que aconteça uma grande destruição na mata brasileira, onde encontra grandes valores para o Brasil e também para o mundo. Por isso, acho que não vale a pena a construção das Hidroelétricas.

    Aluno: Igor Rangel Gomes
    Matricula: 6100016
    Curso: Engenharia Civil (Noite)
    IEN186-44 / 1 – Calculo Diferencial e Integral IV
    Professor: Jorge Kenedy

Leave a Reply

 

 

 

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>